Lapsos de memória – ãh?

Lapso, falha, branco total na memória. Isso já aconteceu com você? E não me diga que tem mais de 60… puxa! Tenho uma informação até muito agradável para todos nós: lapsos de memória não tem haver com a idade. Não é “porque já estou velha… porque já estou velho…” que os lapsos de memória podem deitar e rolar. Onde já se viu algum cientista afirmar com tanta convicção que “nossa memória funciona bem até os 60, depois disso nada é garantido”?

O fato é que quando se chega na terceira idade o somatório da qualidade de vida até ali fica “carimbada” em nosso físico, psíquico, mental e espiritual. Por exemplo: se eu passei a vida toda abusando do açúcar, da gordura, do sal, de coisas industrializadas, alimentação pobre em verduras, frutas e legumes com muita chance terei problemas de saúde, se meu santo não for forte. Pressão alta, pressão baixa, diabetes, problemas circulatórios e muitas outras situações não são “devido idade”.Com o passar dos anos todo nosso corpo físico vai ficando mais “gasto, frágil e cansado”, mas se eu cuidar dele com toda atenção e zelo, é possível passar por esta vida intacto quanto à doenças terríveis, caso eu queira viver o máximo possível de forma saudável para aproveitar todas as oportunidades.

Vamos voltar aos “lapsos de memória”: eles poderão acontecer de acordo com 2 grandes maneiras: temporários ou recorrentes. Vejamos o quadro abaixo para melhor compreensão:

LAPSOS TEMPORÁRIOS

Acontecem de acordo com uma situação. Relacionam-se com situações agudas comuns no dia a dia:
– estresse agudo;
– cansaço momentâneo;
– noite mal dormida;
– fortes emoções;
– ingestão de álcool/drogas de forma social;
– sobrecarga mental;

Podem ser considerados comuns em qualquer faixa etária.

LAPSOS RECORRENTES

Acontecem em qualquer situação. Relacionam-se com situações crônicas relacionados a quadros clínicos:
– estresse crônico;
– fadiga crônica;
– desidratação;
– desnutrição;
– interações medicamentosas;
– efeitos colaterais de determinados medicamentos;
– distúrbios hormonais (diabetes);
– disfunções fisiológicas (deficiência de vitamina B12);
– doenças psíquicas como depressão;
– ocorrências que afetam estrutura do cérebro (traumatismos, AVC);
– doenças que destroem os neurônios (demências);

Precisam de atenção especial em qualquer faixa etária.